Pular para o conteúdo

Principais Tendências de 2024 para o setores Naval e de Energia Offshore

Os setores naval e de energia offshore, como observado por especialistas, passam por evolução acelerada e dinâmica, marcada pela adoção de avançadas tecnologias de Inteligência Artificial, que aumentam a eficiência operacional e alteram os padrões de comércio global.

Essas tecnologias estão sendo integradas em diversos aspectos das operações marítimas, que além de aumentar a produtividade, também atuam como catalisadoras para soluções inovadoras para enfrentar antigos desafios do setor marítimo.

Este panorama de desafios, oportunidades e avanços tecnológicos desenha um quadro para a indústria marítima que não é apenas resiliente, mas também indica as tendências para assegurar sustentabilidade, eficiência e competitividade. Por isso, é importante para as empresas do setor conhecerem as tendências da indústria marítima para 2024, visando manterem-se competitivas no mercado, atendendo as demandas dos clientes e impulsionando o crescimento sustentável.

Veja a seguir as principais tendências levantadas por empresas especialistas em pesquisas para a indústria naval e de energia offshore:

  1. Robótica marítima para eficiência e segurança

Engenheiro fazendo inspeção usando drone. Créditos da imagem: Envato

No setores naval e de energia offshore, as tecnologias pioneiras de robótica estão se posicionando como foco central, prometendo remodelar o futuro. A integração da robótica nas operações marítimas estende-se a várias dimensões essenciais.

Essa evolução inclui a implantação estratégica de navios autônomos, drones subaquáticos especializados em inspeções e reparos, e drones destinados a tarefas como supervisão do tráfego marítimo, avaliações ambientais e apoio em missões de busca e salvamento. Estes robôs, desenvolvidos especificamente para essas funções, são equipados com braços mecânicos e sistemas de hardware especializados, permitindo-lhes executar tarefas com eficiência notável.

Também os drones estão sendo integrados de maneira eficaz nos portos e a bordo dos navios, realizando inspeções e assegurando a entrega rápida e eficiente de provisões. Além de sua capacidade de substituir mão de obra humana em tarefas perigosas, estes robôs reduzem significativamente a exposição dos trabalhadores a condições de risco durante a manutenção e inspeções.

Outra tendência emergente na indústria marítima é o uso de gêmeos digitais, tecnologia avançada para os operadores simularem e analisarem operações portuárias em um ambiente virtual detalhado. Desse modo, o uso dos gêmeos digitais está voltado para otimizar a logística, antecipar potenciais problemas e simplificar os fluxos de trabalho operacionais. O que é feito a partir da testagem de diversos cenários e estratégias dentro do ambiente virtual do gêmeo digital.

  1. Iniciativas verdes para eficiência energética no transporte marítimo

Os setores naval e de energia offshore devem ficar atentos às tendências visando alcançar eficiência energética com o controle das emissões e gestão eficiente de resíduos. Desse modo, as iniciativas estão se concentrando no aproveitamento de tecnologias de energia limpa. Como a adoção do gás natural liquefeito (GNL), alternativa de combustível mais limpa, que contribui para a redução das emissões nocivas.

Além disso, os impactos regulatórios, como a implementação do limite de enxofre de 2020 pela Organização Marítima Internacional (IMO), têm sido fundamentais. Isso porque limita as emissões de enxofre dos navios a 0,50% m/m (massa por massa), representando redução drástica em comparação com o limite anterior de 3,50% m/m.

De acordo com o relatório do Conselho Internacional de Transportes Limpos (ICCT), a implementação do limite de enxofre de 2020 da IMO pode reduzir as emissões anuais de SOx em cerca de 8,5 milhões de toneladas métricas.

Outro fator para minimizar a pegada de carbono nas operações marítimas consiste na adoção de melhores práticas de gestão de resíduos. Por exemplo, o uso de sistemas avançados de reciclagem e tecnologias que transformam resíduos em energia renovável. Além de diminuir a quantidade de lixo descarregado no mar, também reduz a pegada de carbono dos navios e permite o alinhamento de suas operações com os esforços globais para combater as mudanças climáticas.

A redução da quantidade de resíduos despejados nos oceanos é um passo crucial para a proteção da vida marinha e dos ecossistemas aquáticos, representando avanço no compromisso com a sustentabilidade ambiental no setor marítimo.

Projeto Catamarã

Projeto Catamarã. Créditos: Arquivo Pessoal

Exemplo de iniciativas sustentáveis voltadas para a eficiência energética no transporte marítimo é o projeto Catamarã, resultado de uma colaboração bem-sucedida entre a Proper Marine e a Wärtsilä. Trata-se de uma embarcação totalmente elétrica, desenvolvida para operar de forma eficiente em um terminal privado no Brasil. Com capacidade de acomodar até 407 passageiros, possui 2 tanques de água doce de 2000L cada, 2 motores elétricos com +2000HP cada, e banco reserva de bateria de 10 KVA (30 min).

Além da eliminação das emissões de carbono, esses motores reduzem as necessidades de manutenção e melhoram o desempenho operacional. Desde a fase de estudos conceituais até a consolidação do projeto básico, empregamos as mais modernas tecnologias disponíveis para garantir eficiência, economia e segurança.

  1. IoT marítima para coleta de dados em tempo real 

A digitalização está transformando o transporte marítimo e outros setores relacionados ao introduzir aplicações inovadoras para otimizar navios, operações e cadeias de abastecimento. Inicialmente, eram usados sensores de navegação e gravadores de dados de viagem, evoluindo para sistemas de ponte integrados, ECDIS e sistemas de planejamento de viagem. E o avanço tecnológico permitiu o uso da tecnologia de Internet das Coisas (IoT).

O que significa ter redes de sensores transmitindo dados das máquinas para o centro de controle central a bordo, que realiza a análise e processamento por meio de aplicativos integrados em tempo real. O que permite identificar problemas de desempenho e necessidades de manutenção com rapidez e assertividade. Posteriormente, os dados podem ser enviados para instalações baseadas em nuvem, fornecendo acesso a proprietários, operadores, gerentes, afretadores e fabricantes de equipamentos originais (OEMs) para registro, análise e comparação.

Os OEMs utilizam esses dados para apoiar os proprietários, alertando-os sobre problemas potenciais, fornecendo manutenção preditiva e projetando motores e equipamentos de máquinas e convés mais eficientes.

Já os afretadores também se beneficiam, obtendo dados em tempo real para monitoramento e relatórios sobre viagens de navios, emissões, desempenho e condições da carga. Portanto, as operações nos setores naval e de energia offshore, com base em dispositivos de Internet das Coisas (IoT) são fundamentais para elevar a eficiência operacional a partir de insights valiosos para decisões informadas e assertivas.

  1. Blockchain gerando transparência e segurança

A tecnologia blockchain em relação aos sistemas manuais de registro de dados, muito usados na indústria marítima, oferecem solução para a suscetibilidade à falsificação. Isso porque garante a veracidade rigorosa dos dados, assegurando que as informações permaneçam autênticas e inalteradas ao longo de seu ciclo de vida.

Nos setore naval e de energia offshore, essa fragilidade gera crise de confiança entre as partes interessadas, o que impacta significativamente a produtividade global. Com essa tecnologia robusta, é possível ter alto nível de transparência, com armazenamento de dados seguro e imutável.

A tendência é cada vez mais as indústrias marítimas reconhecerem essa importância e adotarem soluções inovadoras baseadas em blockchain, que variam desde plataformas automatizadas de documentação eletrônica até sistemas de processamento de pagamentos e contratos inteligentes, especificamente desenvolvidos para aplicações marítimas.

  1. Automação nas operações de transporte marítimo

Navio porta-contêineres autônomo Semi-Cargo. Créditos da imagem: Canva

Com os processos de automação nos setores naval e de energia offshore, cresce a capacidade de precisão, exatidão e consistência das operações marítimas. Com isso, a tendência é de crescimento do uso de navios autônomos, gêmeos digitais e automação portuária.

É expressivo o avanço das embarcações não tripuladas e dos navios autônomos. Isso porque as embarcações não tripuladas operam com mínima ou nenhuma tripulação e dependem mais do controle humano realizado de locais remotos.

Já as embarcações autônomas distinguem-se pela sua tecnologia avançada, que lhes permite tomar decisões de forma mais independente. Por isso, conseguem aumentar a eficiência, segurança e economia de custos, além de minimizar o impacto ambiental. O que é possível com o uso de sistemas sofisticados de navegação, algoritmos de inteligência artificial e monitoramento remoto, o que melhora drasticamente a eficiência operacional e reduz o erro humano.

Cresce a tendência do porto inteligente, que consiste no uso de soluções tecnológicas inovadoras para melhorar a eficiência operacional, segurança e sustentabilidade, desde a atracação até o manuseio da carga.

  1. Mercado de navios de abastecimento offshore

De acordo com o relatório de mercado de navios de abastecimento offshore, realizado pela Technavio, a estimativa é de crescimento na ordem de um CAGR de 4,42% para o período de 2024-2028. Um dos principais estímulos para o mercado de navios de abastecimento offshore é a crescente demanda por essas embarcações em atividades de exploração e produção (E&P) e desenvolvimento de poços.

As embarcações do tipo AHTS (Anchor Handling Tug Supply) e PSV (Platform Supply Vessel) representam quase 90% das frotas de navios de abastecimento offshore.

De acordo com a pesquisa, o mercado global de navios de abastecimento offshore é marcado por excesso de capacidade, onde a quantidade de navios AHTS e PSVs supera a demanda global por essas embarcações. Portanto, mesmo com aumento nas atividades globais de produção offshore, não se espera que haja crescimento proporcional na demanda por navios AHTS e PSVs.

Contudo, prevê-se aumento na demanda por navios de abastecimento offshore utilizados nas fases iniciais de E&P, como em pesquisas sísmicas, desenvolvimento ou construção de poços e suporte a operações de mergulho.

Alguns exemplos de embarcações utilizadas na exploração e no desenvolvimento de poços são os navios de pesquisa offshore, embarcações de abastecimento para pesquisas sísmicas e navios de abastecimento de construção. Assim, a demanda crescente por navios de abastecimento offshore, nessas áreas específicas de E&P e desenvolvimento de poços, é esperada para fomentar o crescimento do mercado ao longo do período previsto.

Tendo como base esse cenário de crescimento, as principais tendências do mercado de navios de abastecimento offshore (OSVs) estão sendo moldadas pelo aumento da demanda por OSVs de alta capacidade movidos a gás natural liquefeito (GNL).

Uma tendência emergente que vem ganhando impulso é a crescente procura por navios de maior capacidade, especialmente em função do aumento nas atividades de exploração em águas profundas e remotas, impulsionadas pela recuperação dos preços do petróleo. Além disso, observa-se tendência crescente na utilização de OSVs movidos a GNL, em vez dos tradicionais movidos a diesel. Isso porque além de ser mais econômico, também é ambientalmente mais amigável quando comparado ao diesel ou mesmo ao gasóleo com baixo teor de enxofre.

Por isso, os principais fabricantes de navios já lançaram OSVs movidos a GNL, enquanto outros estão se preparando para seguir o mesmo caminho, refletindo tanto preocupação com a eficiência quanto com a sustentabilidade ambiental.

Conclusão

Em 2024, as tendências nos setores naval e de energia offshore destacam avanços tecnológicos, como a crescente preferência por navios de abastecimento offshore movidos a gás natural liquefeito (GNL) de alta capacidade. Isso reflete a busca por soluções mais sustentáveis e eficientes nessas indústrias.

Destaca-se também a digitalização e a integração da tecnologia IoT, juntamente com a aplicação de tecnologias como a blockchain, que redefinem a eficiência das operações marítimas.

A Proper Marine integra tecnologia em seus projetos de engenharia e consultoria nas áreas naval e de energia offshoreEntre em contato e saiba como podemos colaborar para o sucesso do seu projeto.

FALE COM NOSSA EQUIPE VIA WHATSAPP

Cadastre-se abaixo para iniciar seu atendimento via whatsapp com um de nossos especialistas